O Auxílio da Massagem na Recuperação de Cirurgias

Ninguém deseja passar por uma cirurgia, seja ela qual for, não é verdade? Mas, geralmente, é a única forma de nos mantermos novamente saudáveis. Ou, em alguns casos, o único caminho a seguir para salvar nossas vidas.

Em muitas situações, uma simples cirurgia pode ser um evento, para alguns, extremamente traumático, trazendo muitas dores, desconfortos e limitações ao corpo. Havendo ainda o risco de dores crônicas acentuadas, tornando o pós operatório um momento complicado e com inúmeros desafios a contornar.

A boa notícia é que a massagem pode ser uma excelente e eficiente maneira de amenizar as dores crônicas e recorrentes na fase de recuperação, após a cirurgia. Um correto planejamento dos procedimentos e técnicas aplicados pode ser extremamente benéfico, tornando a experiência pós cirúrgica muito menos traumatizante.

Com algumas adaptações e modificações nas massagens normalmente empregadas, qualquer um que tenha sido submetido a uma cirurgia pode receber uma massagem segura, trazendo-lhe inúmeros benefícios na administração do controle das dores, da ansiedade e do estresse gerado pelo procedimento cirúrgico.

Ademais, a massagem aplicada na recuperação de cirurgias não envolve somente o gerenciamento das dores e desconfortos. A massagem também ameniza as inflamações, sempre presente em processos cirúrgicos.

Também aumenta a flexibilidade da musculatura e das articulações do paciente, trazendo mais conforto e disposição, além de atuar diretamente na drenagem do sistema linfático, agilizando a eliminação de impurezas do corpo.

Certamente que a massagem, nos casos pós cirúrgicos, não é aplicada diretamente sobre o local afetado e operado. Mas uma deliciosa massagem nos pés e nas mãos, por exemplo, por pelo menos vinte minutos, é segura e tem a capacidade de potencializar os efeitos de analgésicos e ansiolíticos, aliviando as dores e diminuindo a ansiedade.

Todos esses benefícios permitem que o paciente tenha um relaxamento muito mais pleno e intenso, facilitando a recuperação cirúrgica, tornando seu descanso e seu sono muito mais proveitosos e profundos, acelerando sua reabilitação.

Posteriormente, depois de uma ou duas semanas, após as consultas ao médico, o paciente, provavelmente, já poderá participar de sessões de massagem mais longas e direcionadas, trazendo ainda mais benefícios na sua recuperação.

Uma vez que o paciente já consiga se deitar na maca (mesa) de massagens, os massagistas já poderão empregar procedimentos mais adequados, com a técnica adequada, a velocidade e pressão corretas, de acordo com as necessidades de cura do paciente.

Entre as modalidades de massagem mais empregadas, após uma cirurgia, costuma-se destacar a massagem linfática. Ou, em muitos casos, também chamada de drenagem linfática.

A massagem linfática trabalha, especificamente, com a drenagem do sistema linfático. Ou seja, os excessos de fluidos são drenados através de toques bem suaves e leves, tornando a terapia também muito relaxante e acalmante.

Com a remoção dos excessos de fluidos, o organismo consegue se recuperar com mais agilidade da cirurgia, uma vez que as toxinas também são liberadas mais facilmente do corpo, acentuando a circulação sanguínea, com a vasodilatação, que traz os nutrientes e o oxigênio necessários para que as células promovam a recuperação da região operada.

Entretanto, a massagem não é utilizada somente nesses casos mencionados, podendo ser ampliada na melhoria da aparência das cicatrizes, diminuindo as protuberâncias dos tecidos cicatrizantes e tornando-as mais flexíveis e menos rígidas, o que resulta em movimentos menos restritivos e mais amplos.

Massagem reduz cicatrizes

Praticamente a massagem realinha as fibras de colágeno, tornando as cicatrizes menores e menos perceptíveis. O colágeno é uma proteína, cujas fibras têm pouca elasticidade, ocasionando um aparência desagradável, além de dificultar a restrição motora e aumentar as dores.

A massagem então atua em diferentes frentes, reduzindo as dores crônica e agudas sempre presentes em cirurgias, reduz o estresse e a ansiedade, aumenta a mobilidade dos pacientes recém-operados, diminui os processos inflamatórios, intensifica a eliminação de impurezas do corpo e acentua a recuperação, permitindo que os tecidos obtenham mais nutrientes durante a fase de regeneração.

3 Comentários

  1. Paulo Teixeira Filho
    10 de maio de 2019
    Reply

    Fiz uma cirurgia recente e ainda sinto as dores dos espasmos, que ainda ocorrem, mesmo depois de 90 dias após a cirurgia. As cicatrizes estão bem fechadas, muito pequenas, pois o procedimento foi menos invasivo, através de videolaparoscopia.
    A única reclamação são as dores recorrentes, principalmente quando esfria um pouco. Vou tentar agendar algumas massagens e procurar uma clínica especializada para reduzir essas dores. Talvez com um pouco de massagem, eu consiga sentir menos dores e relaxar um pouco mais a noite, para descansar melhor durante o sono.

  2. Derli Fonseca
    10 de maio de 2019
    Reply

    Será que a massagem específica para cirurgias também pode ser aplicada nos casos de intervenções menos invasivas, como nos tratamentos com toxina botulínica (botox)? Gostaria de receber massagens faciais para melhorar as dores, que as vezes sinto, depois dos tratamentos de rejuvenescimento que faço com frequência no rosto.
    Acho que uma massagem bem feita e com cuidado pode aliviar as dores e fisgadas que sinto nos seios da face. Obrigada.

  3. Cínthia Mansur
    23 de julho de 2019
    Reply

    Uma cirurgia sempre é um fato estressante. A massagem não apenas me ajudou a aliviar as dores e diminuir as cicatrizes, como me relaxou e me tornou um pessoa menos ansiosa e mais tranquila. Consigo contornar com muito mais tranquilidade e resistência as dificuldades e obstáculos da vida. Sou eternamente grata à pessoa que me apresentou a massagem: minha mãe.

Deixe uma resposta para Paulo Teixeira Filho Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *