A Massagem na Cura de Afecções do Aparelho Digestivo

Nas gastroneuroses (afecções gástricas), a massagem acalma as dores e contribui para despertar a tonicidade da musculatura gástrica.

É provável que ela contribua também para melhorar a secreção cloridropéptica, ou seja, os sucos gástricos.

As gastropatias de origem estática (ptoses, atonia gástrica dos neurastênicos e dos debilitados) geralmente melhoram com o afloramento, a massagem vibratória manual, a amassadura suave e profunda.

A massagem é formalmente contraindicada nos casos de câncer e de úlceras.

A massagem superficial calmante por afloramento e vibrações é empregada em todos os casos em que há dor. A técnica superficial excitante, por pancadas e golpes, é útil na atonia.

Já a massagem profunda, compreendendo manobras de fricção, de pressão, de amassaduras e de malaxação é feita três ou quatro horas após as refeições, ajudando na evacuação do estômago e despertando a tonicidade de suas camadas musculares.

A massagem generalizada é bastante útil nos indivíduos dispépticos, obesos e sedentários, pois tende a regularizar a nutrição, a intensificar a taxa de diurese e manter ativo todo o trânsito intestinal.

A massagem abdominal é um precioso meio de tratamento nos casos de ptoses, exercendo uma ação mecânica, que favorece a evacuação do estômago, e uma ação reflexa, que desperta a tonicidade do estômago e do intestino.

Convém agir nesta região gástrica sempre com muita prudência e sob a forma de práticas anestésicas e sedativas, por ocasião dos períodos de crises dolorosas com espasmos.

A ginástica abdominal, que permite reconstituir as paredes musculares hipotônicas do abdome, é ainda de maior importância que a massagem.

O procedimento inicia-se exercendo pressões e compressões desde o ângulo esquerdo do cólon até o silíaco, com o fim de deslocar as matérias e os gases contidos nesta parte do intestino e de dirigi-los para o reto.

Segue-se a massagem do seco, sempre de forma muito leve e praticada com as extremidades dos dedos, com algumas vibrações enfraquecendo sua sensibilidade.

Depois, passa-se a manobras mais profundas, mais enérgicas, por pressões e vibrações intensas, com movimentos de compressão e de rotação, seguindo-se metodicamente todo o trajeto do intestino grosso, desde o fundo cecal.

A movimentação e os golpes são, por excelência, manobras excitantes da contratilidade intestinal.

Alguns especialistas recomendavam a massagem da vesícula biliar. Em nossa opinião, este é um meio desaconselhado em todos os indivíduos reconhecida ou supostamente litiásicos.

A massagem intestinal encaminha mecanicamente o conteúdo do intestino e aumenta o volume de secreções biliar e do próprio intestino.

Todavia, ela é contraindicada quando existem dores e problemas detectados de localização na região do apêndice.

A melhora da constipação através da massagem ocorre às vezes com uma inacreditável rapidez. Mais frequentemente, a reeducação do intestino exige várias semanas.

Em alguns casos, o papel do espasmo é mais preponderante. Assim, o massagista deve somente usar vibrações, afloramentos e pressões suaves feitas com a polpa digital.

As manobras empregadas contra a atonia são, neste caso, nocivas. Na realidade, elas só agravam o estado do espasmo.

Pode-se, então, recorrer à massagem superficial calmante. Devendo-se abster de toda a prática de massagem nos casos de apendicite crônica.

Um Comentário

  1. Arthur Pacheco
    26 de outubro de 2018
    Reply

    A massagem na barriga é ótima para aliviar as dores e dissipar os gases. Algumas massoterapeutas também indicam a massagem, não me lembro, qual modalidade, para amenizar os problemas de intestino preso.
    Minha esposa tentou, depois de 20 anos sofrendo de intestino preso e outras complicações e juntamente com o tratamento médico, ela teve um bom resultado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *