A Ação da Massagem sobre as Doenças da Nutrição

Sabe-se até que ponto a massagem age sobre a nutrição, liberando os hormônios tissulares, o que culmina em uma ação reguladora mais ampla.

Em todos os casos onde se revelam perturbações do metabolismo, a ação do massagista é, em princípio, favorável, mas é necessário que tal ação envolva toda periferia do corpo e seja generalizada.

Isto quer dizer que a massagem seria uma panacéia para todo estado patológico que envolva a nutrição como um todo? Certamente que não, de maneira nenhuma.

Mas é indiscutível que ela mobiliza hormônios indispensáveis à manutenção do equilíbrio nutritivo e à estimulação orgânica.

A massagem sistêmica é, portanto, empregada nos casos de gota, de diabetes, de reumatismo crônico. As manobras seguem uma determinada ordem.

O doente deve estar deitado e em jejum (ou após um tempo de mais de três horas após a última refeição).

Pode-se começar pela cabeça e o pescoço. Passa-se ao tórax, onde só se trabalha a região precordial. Deve-se agira durante bastante tempo no abdome, e, em seguida, alcançar os membros inferiores.

Para massagear a parte posterior destes últimos, deve-se fazer o paciente virar-se de bruços e assim, aproveitando que ele está em posição ventral, massagear as costas e nuca, terminado pelos membros superiores.

Todas as modalidades da massagem poderão ser experimentadas e utilizadas sucessivamente. Em seu conjunto, as manobras serão primeiramente leves e rápidas e, em seguida, mais consistentes.

O paciente não deve sair das mãos do massagista extenuado e dolorido. Ao contrário, após uma sessão de massagem, deve ficar com a impressão de bem-estar e não de fadiga.

A massagem sistêmica só, excepcionalmente, ultrapassará meia hora.

Alguns profissionais são realmente hostis ao emprego da massagem em um tratamento de obesidade.

De maneira geral, ela produz uma excitação constante e regular da assimilação. É, portanto, contraindicada quanto ao fim geral do tratamento, porque faz engordar de quinhentos à mil gramas por semana os pacientes com regime restrito e principalmente os que estão em regime livre.

Em nossa prática pessoal, empregamos constantemente a massagem no tratamento de pessoas mais magras e com evidente sucesso.

Seria, portanto, desejável que os massagistas consentissem em deslocar sua solicitude e, ao invés de insistirem em exercê-la sobre os obesos, quisessem reservá-la, doravante, aos magros, que são também numerosos, e que lhes proporcionariam, por outro lado, resultados brilhantes, assim como em pessoas obesas.

A massagem deverá sempre ser dirigida, em todos os casos, com muita prudência.

Desde que as forças retornem e que as resistências do doente aumentem, a massagem poderá tornar-se um pouco mais agitada.

Muitas manipulações, baseadas no empirismo e mais ou menos antigas, caíram em desuso, sendo pouco a pouco abandonadas e substituídas por práticas de uma técnica simplificada.

Uma grande variedade de manipulações é ainda descrita em certas obras. Quando se adentra na intimidade de sua minuciosa aplicação, verificamos que se trata de movimentos que só têm de original sua extrema complexidade.

Movimentos infinitamente fáceis e de muito simples execução parecem transformar-se em movimentos difíceis, como se houvesse um esforço para tornar a sua execução quase impossível.

Se quisermos que a massagem subsista entre as disciplinas terapêuticas, deve ela ser descomplicada o máximo que puder; sendo que cada movimento deve corresponder a uma indicação precisa.

Não se esqueçam: a massagem dever ser um meio de tratamento tão simples quanto eficaz e prazeroso.

Um Comentário

  1. Aline Ferreira
    6 de outubro de 2018
    Reply

    Além de combater todas esses problemas, também ajuda apimentar a relação do casal.
    Fiz algumas aulas de massagem tântrica (lingam) e não me arrependo, o sexo, o relacionamento com meu marido, tudo ficou bem melhor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *